Emagrecimento

Remédio para emagrecer: tudo que você precisa saber

Escrevemos este artigo para ajudar a entender para quem é indicado o uso, como funciona e quais medicamentos são e não são recomendados para emagrecer. Vamos lá?

clinician image
Aprovado por
Equipe médica
iconÚltima atualização 28 de agosto 2023

Para quem são indicados?

O remédio para emagrecer não é indicado para todas as pessoas, na verdade, indica-se o uso para àqueles que têm problemas para emagrecer ou para tratar sobrepeso ou obesidade e vale lembrar que devem ser utilizados apenas após avaliação e prescrição médica.

No entanto, tenha em mente também que remédios para emagrecer devem ser usados em combinação de dietas saudáveis e elaboradas por nutricionistas, além da prática de exercícios físicos.

Qual o melhor?

Atualmente, há remédios cada vez mais eficientes para o emagrecimento saudável. Diante disso, às vezes é comum ter dúvida sobre qual o melhor, mas lembre-se que para saber qual o melhor para você, é necessário passar por avaliação com o médico.

Isso porque apenas um profissional de saúde pode indicar o remédio para emagrecer que melhor se adeque ao seu estilo de vida, quadro clínico de saúde e objetivos de emagrecimento.

Como funcionam?

Os remédios para emagrecer possuem em sua composição substâncias químicas capazes de provocar sensação de saciedade por mais tempo. Além disso, alguns funcionam inibindo a absorção de gordura, mas não a queima dela e ainda existem outros que aceleram o metabolismo, levando ao emagrecimento.

Medicamentos para supressão do apetite

A medicação para supressão do apetite possui substâncias químicas cuja função é diminuir a fome.

Em resumo, o medicamento age no organismo provocando a sensação de saciedade, causando também o prolongamento da sensação em nosso corpo.

Isso acontece porque ele transmite primeiro ao cérebro a mensagem que o nosso organismo já está saciado e, consequentemente, o cérebro “repassa” a mensagem de saciedade para todo o corpo.

É válido lembrar que os medicamentos para supressão do apetite devem ser usados apenas com a orientação do médico, tá bom?

Inibidores da absorção de gordura

Já os inibidores da absorção de gordura – conhecidos também como bloqueadores de gordura – são fabricados com substâncias que dificultam a absorção de gordura no trato digestivo.

Assim, quando nos alimentamos, o bloqueador auxilia com que parte da gordura dos alimentos seja eliminada depois pelo organismo.

Mas é importante frisar que os inibidores de absorção de gordura não queimam a gordura armazenada no tecido adiposo, eles apenas ajudam na redução da quantidade de calorias absorvidas nas refeições e o resultado é melhor percebido quando é em conjunto com a alimentação balanceada.

A sua composição, geralmente, é de fibras dietéticas (geralmente de origem vegetal) com capacidade de se unir às gorduras antes do processo de absorção no organismo, dessa forma, aumentam também a saciedade e controle da fome.

Medicamentos para aumentar o gasto energético

Os remédios que aumentam o gasto energético provocam efeito estimulante mais intenso sob a taxa de metabolismo quando comparados com os alimentos termogênicos (que auxiliam no gasto energético também) e com os suplementos alimentares.

No entanto, alguns medicamentos deste tipo são proibidos no Brasil, devido aos efeitos colaterais que podem oferecer riscos à saúde.

Quais resultados esperar? (expectativa x realidade)

Talvez você já pensou que usar remédio para emagrecer vai trazer resultados rápidos. Esta é a expectativa de muitos, certo?

Mas a realidade tem que ser um pouco diferente. Na verdade, o ideal para ter um emagrecimento saudável é combinar o uso de medicamentos com os treinos físicos, alimentação balanceada, boa qualidade de sono, entre outros.

Remédios indicados e não indicados para emagrecer

Abaixo trouxemos alguns dos remédios indicados e quais não são indicados para perder peso.

Além disso, lembre-se de que a automedicação não é segura, sendo importante conversar sempre com o seu médico para ele prescrever a melhor opção para o seu tratamento, ok?

Substâncias/remédios indicados

Existem várias medicações já aprovadas por Agências Reguladoras, inclusive, no Brasil.

Fizemos uma lista com as principais medicações disponíveis atualmente:

Semaglutida

A Semaglutida (comercializada sob o nome Ozempic, Wegovy, Rybelsus) foi criada para o tratamento da diabetes, e, recentemente, a Wegovy foi aprovada pela Anvisa no tratamento para obesidade.

Os resultados que estes medicamentos oferecem para o emagrecimento chegam ao valor de 15% na perda de peso, conforme estudos divulgados no The New England Journal of Medicine. 

Quando estes medicamentos são utilizados em conjunto com mudanças no estilo de vida, é possível perder até 5 vezes mais peso. Outro destaque é que sua aplicação é semanal, em comparação com as demais, como a Liraglutida.

Inclusive, você certamente já deve ter ouvido sobre o medicamento Ozempic, não é? Em um estudo, os participantes que utilizaram semaglutida – princípio ativo do Ozempic – perderam até 14,9% do peso inicial ao final de 68 semanas. Mas, vale lembrar que ele é utilizado de forma off-label no Brasil.

Temos um artigo sobre este medicamento no blog, basta acessar e ler tudo sobre o Ozempic.

Liraglutida (Victoza ou Saxenda)

A Liraglutida (vendida sob os nomes comerciais Victoza ou Saxenda) é um medicamento aprovado pela ANVISA no tratamento da obesidade. Entre as ações que este remédio causa no organismo, a diminuição de apetite foi comprovada.

Em 2011, um estudo realizado na Europa demonstrou a segurança e eficácia da Liraglutida administrada para pacientes obesos e com sobrepeso. Segundo resultados do estudo, a Liraglutida – em uso associado com dietas e treinos – superou expectativas e proporcionou resultados seguros para o emagrecimento saudável.

Tirzepatida

A Tirzepatida (vendida sob o nome comercial Mounjaro) é usada no tratamento da obesidade em pacientes com diabetes tipo 2, mas que também demonstra resultados de grande potencial de perda de peso.

Inclusive, um estudo publicado pela Associação Americana de Diabetes revela que 90% dos pacientes demonstraram resultados promissores com o uso do medicamento, chegando a reduzir o peso em 20% em um ano de uso. 

Vale lembrar que esta medicação é considerada duplo-agonista, ou seja, simula efeitos de dois hormônios intestinais que atuam na sensação de saciedade e que atua no metabolismo do organismo.

Bupropiona + Naltrexona

A combinação de Bupropiona + Naltrexona (vendida sob os nomes comerciais de Mysimba ou Contrave) foi aprovada para tratamento do sobrepeso e obesidade em 2014.

A principal indicação deste remédio é para o tratamento de obesidade de pacientes que enfrentam episódios de compulsão alimentar.

A Naltrexona potencializa a ação da Bupropiona e por isso é usada em conjunto, atuando nos níveis de dois neurotransmissores: noradrenalina e dopamina.

Dessa forma, a pessoa consegue controlar o impulso pelo consumo de alimentos calóricos, além disso, os medicamentos provocam no organismo a sensação de saciedade.

Fentermina + Topiramato

A combinação da Fentermina e Topiramato (comercializado com o nome de Qsymia) é outra opção para homens ou mulheres para tratar o sobrepeso, mas vale ressaltar que existem recomendações precisas sobre dosagem durante o tempo do tratamento. É importante conversar com o médico e avaliar se você pode ou não fazer uso deste medicamento, tá bom?

Orlistat

O Orlistat (vendido sob o nome Xenical) é uma substância que atua em uma enzima que faz parte da digestão do nosso organismo, diminuindo a absorção de gordura ingerida pela alimentação em cerca de 30%.

Assim, ela ajuda para o emagrecimento saudável. Inclusive, estudos com o Orlistat demonstraram que a substância ajuda a perder em média 3 a 9% do peso, após um ano de tratamento.

Substâncias/remédios não indicados

Existem também substâncias e remédios não indicados para emagrecer, já que diante de estudos e pesquisas alguns apresentaram riscos à saúde e não proporcionam resultados saudáveis para quem busca o emagrecimento. Veja abaixo:

Antidiabéticos

Medicamentos antidiabéticos (um exemplo é a Metformina) estão disponíveis no mercado para tratar diabetes tipo 2, seja sozinho ou em conjunto com outros medicamentos.

No entanto, ele não é indicado para emagrecimento e não garante perda de peso.

Antiepiléticos

Os remédios administrados para tratar epilepsia também não são indicados para o emagrecimento. No entanto, há pesquisas que mostram que o uso do topiramato (remédio antiepilético) contribuiu para o emagrecimento, já que em algumas pessoas a medicação perceberam que o apetite reduziu, segundo dados do documento de Diretrizes Brasileiras de Obesidade.

Hormônio Tireoidiano

Pessoas que são diagnosticadas com hipertireoidismo tendem a perder peso, justamente pela aceleração do metabolismo. E até que iniciem o tratamento correto com o Hormônio Tireoidiano, a pessoa continua emagrecendo.

O que acontece é que, baseando-se neste fato, vem sendo usado o hormônio T3 (Triidotironina ou Tiratricol) para perder peso, sem que a pessoa seja diagnosticada com hiportireoidismo.

Entretanto, esta prática oferece sérios riscos à saúde, não sendo recomendada por vários médicos.

Isso porque a glândula da Tireoide é muito sensível e o uso de hormônios sem necessidade pode ocasionar em reações do organismo não benéficas, como desenvolvimento de doenças imunes na tireoide, problemas no coração (arritmias graves), entre outros.

Quais os efeitos colaterais?

Nas bulas dos medicamentos sempre constam as reações adversas, com base em testes clínicos feitos com o remédio.

No caso da medicação para emagrecer, os efeitos colaterais tendem a reduzir e sumir em poucas semanas, enquanto o seu organismo se acostuma com a dosagem do remédio.

Além disso, os efeitos colaterais mais comuns (que costumam afetar uma em cada 10 pessoas) são: náuseas, enjôos, diarréia, sonolência e tontura.

Em quanto tempo fazem efeito?

O tempo para emagrecer, fazendo uso de remédios, varia de pessoa para pessoa, afinal, depende do uso correto do medicamento, adesão a um estilo de vida mais saudável, entre outros fatores. Então, lembre-se que não existe um tempo pré-estabelecido para o remédio fazer efeito.

Podem ser comprados sem receita?

A compra de remédio para emagrecer sem receita não é permitida. Isso porque é necessário passar por avaliação médica antes de iniciar o tratamento.

Como fazer o desmame?

A suspensão do uso do remédio para emagrecer deve ser feita também sob orientação médica. Geralmente, o desmame acontece de forma progressiva, ou seja, com redução aos poucos da dose do medicamento.

No entanto, é importante que haja mudança efetiva na alimentação e prática regular de exercícios físicos, dessa forma, a suspensão do medicamento sob orientação médica acontece sem maiores problemas.

E mesmo após a interrupção do tratamento, a alimentação balanceada e treinos físicos precisam ser parte de sua rotina pelo resto da vida, tá bom?

Perguntas frequentes

Claro que existem questionamentos bem comuns entre quem faz o uso de remédio para emagrecer, pensando nisso, acompanhe abaixo informações que vão te ajudar a entender melhor sobre essas dúvidas.

Remédio para emagrecer engorda depois?

Depende! Se o emagrecimento estiver relacionado apenas ao uso da medicação, há grandes chances da pessoa engordar o que perdeu.

Já se for usada conforme orientação médica e em conjunto com várias outras mudanças no estilo de vida, provavelmente a pessoa terá um emagrecimento sustentável, durando a longo prazo.

Quem amamenta pode tomar remédio para emagrecer?

Médicos e até bulas dos remédios para emagrecer não recomendam o uso deles durante o período de amamentação. Isso porque a perda de peso pode afetar a produção do leite, comprometendo a nutrição do bebê, como também alguns remédios podem ser transferidos – mesmo que em pequena quantidade – para o leite materno, não sendo absorvido depois pelo trato gastrointestinal do recém-nascido.

Quem toma remédio para emagrecer pode beber cerveja?

É bom evitar o consumo exagerado de álcool enquanto fizer uso de medicação para emagrecer, pois a cerveja, por exemplo, pode interagir com vários dos medicamentos que você toma e desencadear níveis baixos ou altos de açúcar no sangue.

E mesmo você não sendo diabético, há riscos de ter casos de hipoglicemia (baixo nível de açúcar no sangue) mais frequentes quando se faz uso de medicamentos para emagrecer, como o Ozempic. Então, vale a pena beber com moderação.

Chegamos ao final do artigo e, agora, você já sabe um pouco mais sobre os remédios para emagrecer. Não se esqueça: a automedicação não é recomendada, por isso, converse com o seu médico e time de nutricionistas para a avaliação mais segura e a prescrição do melhor medicamento para atingir o seu objetivo: emagrecer com saúde!

Te esperamos aqui para o próximo artigo.

Atenção:

  1. O uso de medicamento poder trazer risco a saúde. Não use qualquer medicação sem avaliação e orientação do médico. Consulte o médico.
  2. Essas informações são de artigos científicos com finalidade meramente educativa. Não faça automedicação.
References
icon¹
icon²

Mancini MC, Halpern A. Tratamento Farmacológico da Obesidade. Arq Bras Endocrinol Metab [Internet]. 2002out;46(5):497–512. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0004-27302002000500003

icon³

RIBEIRO, Silvana; DE CARVALHO, Rosemary J. Monteiro. Uso de medicamentos para redução de peso corporal. Seminário Científico de Nutrição, n. 1, 2009. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/267029475.pdf

icon

Carvalho, G. A. de .. (2007). Emagrecimento e tireóide: um longo caminho. Arquivos Brasileiros De Endocrinologia & Metabologia, 51(9), 1415–1416. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0004-27302007000900002 

icon

ARTBURN, David et al. Long-Term Weight Change after Initiating Second-Generation Antidepressants. Journal of Clinical Medicine. Vol.4. 5.ed; 1-13, 2016

icon

EUROPEAN MEDICINES AGENCY. Zoloft. Disponível em: https://www.ema.europa.eu/en/medicines/human/referrals/zoloft

icon

CAROLINA, SUÉLYN; CAMPOS, D. E. PERSPECTIVAS DE PERDA DE PESO COM O USO DE LIRAGLUTIDA: REVISÃO DA LITERATURA. Disponível em: https://www.mastereditora.com.br/periodico/20141130_215615.pdf

icon
icon
icon¹⁰

Metformin – National Institutes of Health U.S. – National Library of Medicine.

icon¹¹
Leitura adicional
card-image
Emagrecimento
O Impacto do Acompanhamento Nutricional no Emagrecimento
Descubra como a alimentação saudável combinada com o aconselhamento nutricional pode transformar sua saúde e bem-estar. Entenda os benefícios dessa abordagem integrada e como ela pode ajudar a alcançar seus objetivos de saúde.
card-image
Emagrecimento
A ciência por trás da perda de peso: entendendo medicamentos injetáveis
Entenda os mecanismos, benefícios e considerações dos medicamentos injetáveis para emagrecer e alcançar seus objetivos de saúde.
card-image
Emagrecimento
Como aumentar a atividade física sem precisar fazer exercícios “tradicionais”?
Quando pensamos no emagrecimento ou até no estilo de vida saudável, normalmente damos muita ênfase em exercícios como corrida ou a musculação. E, apesar de serem atividades muito benéficas para o nosso corpo (vamos falar sobre elas nos próximos artigos), essas não são as únicas formas de nos mantermos ativos – e é sobre isso que vamos falar hoje!
card-image
Emagrecimento
Efeito sanfona: saiba tudo sobre ele
Conhecido por efeito sanfona, ele é considerado um “descer e subir” de dígitos na balança, tão comum para quem passa longos períodos fazendo dietas rigorosas, mas sem conseguir manter-se no peso de forma saudável.
Nós utilizamos cookies para analisar dados e personalizar sua visita, saiba mais em nossa política de privacidade