Filtros

Áreas afetadas pela calvície
Idade
Tratamento
Duração do tratamento
Saúde Sexual

Ereção: o que é, quais os tipos e como melhorar?

A ereção é um processo natural entre homens, mas mesmo assim ainda é um tabu para muitos deles. Como acreditamos que, com um pouco de informação e de soluções personalizadas, conseguimos empoderar homens para cuidarem do próprio bem-estar, preparamos este artigo sobre o tema. Continue lendo para conhecer um pouco mais sobre o que a ciência diz a respeito da ereção!

clinician image
Aprovado por
Equipe médica
iconÚltima atualização 8 de abril 2024

O que é ereção?

A ereção é um processo em que o fluxo sanguíneo no pênis se intensifica, o que faz com que o órgão se enrijeça. Esse é um fenômeno causado, na maioria das vezes pela excitação sexual, mas existem outros fatores que podem contribuir com isso – vamos falar sobre eles daqui a pouco!

Como ocorre?

A ereção faz parte do que foi chamado de “ciclo das fases da resposta sexual humana”, que se divide em quatro etapas: excitação, platô, orgasmo e resolução. Dentro delas, a ereção se encaixa entre a fase platô e a resolução, que é quando a ejaculação acontece.

A versão inicial dessa classificação foi desenvolvida nos anos 60 para aumentar a compreensão sobre os processos fisiológicos e comportamentais que acontecem durante a atividade sexual humana.

Detalhando mais o processo…

Essa é a explicação mais simples, mas se nos permite, vamos um pouco além para que você entenda um pouco mais sobre como as ereções acontecem, tudo bem?

  1. Bom, tudo começa com os gatilhos, na maioria das vezes são estímulos sexuais, que fazem com que o cerébro libere neurotransmissores para que todo o processo aconteça. Para facilitar nossa conversa, vamos nos concentrar na acetilcolina, que faz com que os vasos sanguíneos liberem óxido nítrico.
  2. Com a liberação do óxido nítrico, a musculatura dos corpos cavernosos* relaxam e, assim, as artérias do pênis dilatam e favorecem a passagem do fluxo de sangue necessário para a ereção.
  3. Quando isso acontece, as veias ao redor do órgão “seguram” o sangue, fazendo com que o pênis aumente o volume e fique rígido. Com isso, acontece a ereção.

*os corpos cavernosos são duas estruturas cilíndricas dentro do pênis com pequenas “cavernas” em seu interior.

Tipos de ereções

Os tipos de ereção se diferenciam pelo contexto em que acontecem. Ao total, são três classificações existentes:

  • Psicogênica – quando a ereção ocorre por estímulos visuais ou fantasias sexuais
  • Reflexogênica – quando acontece após estímulo físico na região genital
  • Noturna – ocorre durante o sono, mas ainda não existe um consenso sobre a causa desse tipo de ereção

O que se sabe até agora sobre a ereção durante o sono é o fato de que ela está diretamente relacionada ao sono REM. Essa é a fase em que o corpo fica imóvel e os olhos se movimentam rapidamente. Nesse momento, os sonhos acontecem e o corpo se restaura fisicamente e mentalmente.

De acordo com um estudo, em uma noite normal de sono, é possivel acontecer entre 4 e 5 ciclos de sono REM seguidos por ereções. E tem mais: o pico de ereções noturnas acontece na puberdade, sendo correspondente a 30% do período de sono entre meninos de 13 a 15 anos e 20% em homens entre 60 e 69 anos – o que levantou a possível relação entre as ereções noturnas e a idade do homem. Por que isso acontece ainda é um mistério, mas acredita-se que tem a ver com um mecanismo do próprio corpo para proteger os tecidos internos do pênis.

  • Matinal – A ereção pela manhã nada mais é do que a última relacionada ao sono REM. Se notar que ela não vem acontecendo há algum tempo, talvez seja hora de procurar ajuda médica! Como comentamos acima, ela faz parte de um processo natural do organismo, ou seja, se não ocorre normalmente, isso é um sinal do corpo de que nem tudo está caminhando como deveria.

Como melhorar a ereção?

A performance na cama depende de vários fatores, então, para ter melhores ereções é interessante ficar de olho em pontos relacionados à saúde e ao próprio estilo de vida. Nós listamos cada um deles em um post aqui do blog, veja! 

Dificuldade de ter ereção: o que pode ser?

O que pode ser?

O principal problema com ereção é a impotência, ou disfunção erétil. Quando um homem está passando por isso, ele não consegue ter uma ereção ou então não é capaz de mante-la durante a relação sexual.

Existem muitos fatores que podem desencadear o problema, como questões psicológicas, doenças cardíacas, diabetes, entre outros pontos. Por isso, em alguns casos, tratar a impotência leva a investigar a saúde como um todo.

O que fazer?

A impotência tem solução! Mas só um médico especializado será capaz de te orientar da maneira que precisa. Nós já falamos com maiores detalhes sobre os tratamentos mais eficazes aqui no blog, mas não custa lembrar sobre os mais populares:

  • Tadalafila (genérico do Cialis)

Um dos tratamentos mais eficazes para disfunção erétil, a Tadalafila é conhecida por oferecer maior espontaneidade para quem a usa, fazendo com que seja chamada de “pílula de fim de semana”. Isso porque ela oferece resultados com duração de 36 horas, o que é uma janela de efeitos muito maior do que outros remédios para impotência.

Além disso, também existe a possibilidade de fazer uso diário da Tadalafila, sendo que, nesses casos, a dosagem usual é a de 5mg. Em geral, esse modo de uso é indicado para homens que tenham recorrência de atividade sexual pelo menos três vezes por semana.

  • Sildenafila (genérico do Viagra)

A Sildenafila é um dos remédios mais conhecidos para impotência. Ele foi o pioneiro na área, sendo a primeira medicação aprovada para disfunção erétil, em 1998. Assim como a Tadalafila, a Sildenafila tem alta eficácia, no entanto, seus efeitos duram 4 horas e podem sofrer interferência do álcool e alimentos gordurosos. 

  • Valdernafila e Avanafila

Esses são outros remédios para impotência que, apesar de não serem tão conhecidos, também são muito eficazes. A Valdernafila já foi apontada como o segundo mais efetivo contra disfunção erétil, enquanto a Avanafila possui composição que aparenta gerar menos efeitos colaterais. 

Esses medicamentos devem ser utilizados sobre prescrição de um médico para melhores resultados e maior segurança no uso. Além deles, mudanças no estilo de vida também pode te ajudar a melhorar a performance entre quatro paredes. 

Viu que falar sobre a saúde sexual pode ser simples? Continue acompanhando o blog para aprender mais sobre o tema! 


References
icon¹

Coward, R. M., & Carson, C. C. (2008). Tadalafil in the treatment of erectile dysfunction. Therapeutics and clinical risk managementscribble-underline, 4scribble-underline(6), 1315–1330. https://doi.org/10.2147/tcrm.s3336

icon²

Dean, R. C., & Lue, T. F. (2005). Physiology of penile erection and pathophysiology of erectile dysfunction. The Urologic clinics of North Americascribble-underline, 32scribble-underline(4), 379–v. https://doi.org/10.1016/j.ucl.2005.08.007

icon³

SARRIS, Andrey Biff et al. FISIOLOGIA DA EREÇÃO PENIANA: UMA BREVE REVISÃO. Visão Acadêmica, [S.l.], v. 18, n. 3, set. 2017. ISSN 1518-8361. Disponível em: <https://revistas.ufpr.br/academica/article/view/54413>. Acesso em: 15 jun. 2022. doi:http://dx.doi.org/10.5380/acd.v18i3.54413.

icon

European Medicines Agency – Science Medicines Health https://www.ema.europa.eu/en/documents/overview/viagra-epar-summary-public_en.pdf

icon

Giuliano F. (2011). Neurophysiology of erection and ejaculation. The journal of sexual medicine, 8 Suppl 4, 310–315. https://doi.org/10.1111/j.1743-6109.2011.02450.x

icon

van Driel M. F. (2014). Sleep-related erections throughout the ages. The journal of sexual medicinescribble-underline, 11scribble-underline(7), 1867–1875. https://doi.org/10.1111/jsm.12557

icon

Yuan, J., Zhang, R., Yang, Z., Lee, J., Liu, Y., Tian, J., Qin, X., Ren, Z., Ding, H., Chen, Q., Mao, C., & Tang, J. (2013). Comparative effectiveness and safety of oral phosphodiesterase type 5 inhibitors for erectile dysfunction: a systematic review and network meta-analysis. European urologyscribble-underline, 63scribble-underline(5), 902–912. https://doi.org/10.1016/j.eururo.2013.01.012

icon

Zurawin, J. L., Stewart, C. A., Anaissie, J. E., Yafi, F. A., & Hellstrom, W. J. (2016). Avanafil for the treatment of erectile dysfunction. Expert review of clinical pharmacologyscribble-underline, 9scribble-underline(9), 1163–1170. https://doi.org/10.1080/17512433.2016.1212655

icon


Leitura adicional
card-image
Saúde Sexual
Como melhorar a ereção? 10 dicas para pôr em prática
Nem sempre é fácil nem sempre é fácil ter e manter uma ereção – e isso é comum: 40% dos homens com menos de 40 anos sofrem com problemas de ereção em algum momento da vida.
card-image
Saúde Sexual
Guia completo sobre disfunção erétil
A disfunção erétil, também conhecida como impotência sexual, é provavelmente o problema sexual mais comum entre os homens, afetando aproximadamente 45% dos brasileiros.
card-image
Saúde Sexual
Tratamentos para impotência sexual: quais são realmente eficazes?
A impotência sexual, também chamada de disfunção erétil, é um problema comum entre homens.
card-image
Saúde Sexual
7 ações para potencializar o tratamento para disfunção erétil
Quando fazemos um tratamento, queremos que ele funcione, não é? Os medicamentos utilizados contra a disfunção erétil já são muito eficazes, mas existem algumas ações simples que podem ajudar a garantir os resultados que deseja com as suas ereções.
Nós utilizamos cookies para analisar dados e personalizar sua visita, saiba mais em nossa política de privacidade