A calvície é hereditária?

Escrito por
Equipe Manual
Aprovado medicamente por
Equipe médica
Última atualização
15th julho 2021

A Calvície de padrão masculino ou Alopecia Androgenética, é a causa mais comum de queda de cabelo. Se você terá ou não calvície, isso vai depender de sua genética.

A crença de que você herda o “gene da calvície” do lado materno não é totalmente correta. Você pode herdar características que causam calvície de qualquer um dos pais, e há muitos genes que podem influenciar sua queda capilar.

Nem todas as notícias são ruins: mesmo que a calvície seja familiar, existem medicamentos que podem tratar a calvície.

Perceber que o seu cabelo está caindo ou diminuindo é uma experiência bastante comum para muitos homens – e à medida que envelhecemos, mais e mais de nós estão propensos a ter calvície.

A alopecia androgenética, também conhecida como calvície de padrão masculino, pode aparecer já na adolescência e afeta 30% dos homens aos 30 anos , 50% aos 50 e quase 80% aos 70 anos.

O que você pode não perceber, entretanto, é que esse tipo específico de queda de cabelo é influenciado por sua genética. Você pode, de fato, herdar genes de calvície, e não apenas do lado materno.

Como acontece a queda de cabelos?

Antes de nos aprofundarmos na genética, vamos entender o processo por trás da calvície – ou seja, o que está realmente acontecendo em seu couro cabeludo causando a queda de cabelo.

O folículo capilar é uma estrutura em formato de bolsa, é dentro dele que está localizada a raiz do fio de cabelo. Cada folículo é capaz de produzir e fazer os fios crescerem.

Pessoas com alopecia androgenética apresentam alterações nos folículos do couro cabeludo, o que é causado por um aumento da sensibilidade à diidrotestosterona (DHT). 

DHT é uma forma mais potente de testosterona(ou seja, o hormônio sexual masculino) e é formada a partir da testosterona que foi convertida por uma enzima chamada 5α-redutase. Na calvície, o DHT se liga a receptores em seus folículos capilares, fazendo com que eles encolham (um processo denominado ‘miniaturização’), de modo que parem de produzir cabelos saudáveis. Com o tempo, com a exposição crônica ao DHT, o folículo capilar pode ficar danificado, o que significa que perderá a capacidade de fazer novos fios.

No entanto, nem tudo é desgraça e tristeza: você pode bloquear o DHT imediatamente, como descobriremos a seguir.

A calvície vem dos genes da sua mãe?

Não é tudo culpa da sua mãe. Mas a crença comum de que o ‘gene da calvície’ vem de seu avô materno também não é completamente falsa.

Um dos genes mais conhecidos associados à alopecia androgenética é o gene Receptor de Andrógeno (AR). O gene AR codifica a proteína receptora de andrógeno, que ajuda os folículos capilares a detectar os hormônios andrógenos (como o DHT). O gene AR está localizado no cromossomo X . Os homens biológicos têm um cromossomo X e um Y, enquanto as mulheres biológicas têm dois cromossomos X. Isso significa que você tem que herdar seu Y de seu pai e seu X de sua mãe – então, se você tem um cromossomo X com uma forma mutante do gene AR, deve agradecer ao lado da família de sua mãe.

No entanto, herdar um gene AR mutante não é responsável por todos os casos de calvície. Na verdade, agora se entende que este gene influencia pouco na herança da doença. Sim, seu avô materno podia ser careca como uma bola de boliche, mas há uma grande chance de que houvesse outros genes responsáveis ​​por sua queda de cabelo, que você pode herdar ou não. Na mesma linha, genes diferentes que você herda de seu pai também podem ter um papel a desempenhar no desenvolvimento da calvície.

Existem outras causas responsáveis pela calvície?

Não há necessidade de temer, esta não é uma doença contagiosa: a alopecia androgenética é considerada hereditária, mas um estudo recente indica que, ao invés de ser uma mutação única no gene AR, calvície é uma condição poligênica, o que significa que existem várias genes ou mutações que podem ser responsáveis. 

Estudos que examinaram todo o genoma em relação à calvície descobriram que um em cada sete homens têm variantes no cromossomo 20 que são fatores de risco para a calvície de padrão hereditário. O cromossomo 20 e o cromossomo X são entidades completamente separadas, o que significa que você pode herdá-lo de qualquer um dos pais. Uma variante específica do cromossomo 20, chamada rs1160312 (nome cativante, sabemos), está especialmente associada à alopecia androgênica em homens, aumentando em 60% a probabilidade de ter calvície.

Isso não é tudo. Outros estudos indicam que essa queda capilar é influenciada por diversos genes, e cada mutação adicional que você herda, aumenta o risco de ficar careca. Um estudo identificou 63 loci que contribuem para a calvície, enquanto outro identificou 71 loci. Esses genes codificam uma série de características, como o quão sensíveis seus folículos são ao DHT. 

Além disso, descobriu-se que herdar esses genes é mais importante para o desenvolvimento da calvície do que a mutação no cromossomo X. 

Posso prevenir a calvície?

Infelizmente, você não pode mudar sua genética. A alopecia androgenética é fundamentalmente hereditária, com pesquisas estimando herdabilidade de mais de 80%, o que significa que se alguém em sua família tem calvície, há uma grande chance de você herdar os genes também.

No entanto, a compreensão científica do processo biofísico que causa a calvície levou a tratamentos eficazes que podem interromper os gatilhos da doença, mesmo que você seja geneticamente predisposto.

Lembra do nosso velho “amigo” DHT – ou seja, o responsável pela miniaturização do folículo capilar? Se você suprimir a enzima que transforma a testosterona em DHT, poderá evitar que ela cause a reação em cadeia que resulta na perda de cabelo.

A Finasterida e a Dutasterida estão em uma classe de medicamentos chamados inibidores da 5-alfa redutase, o que significa que bloqueia a enzima exata responsável pela formação do DHT. São apresentados na forma de comprimido oral para tomar uma vez ao dia.

Agindo nos folículos capilares que começaram a se miniaturizar, impedindo o agravamento da condição e ajudando os folículos a voltar à saúde plena. 

Isso significa que a queda de cabelo vai parar e, em muitos casos, você verá crescimento e restauração capilar. 

Os resultados falam por si: em ensaios clínicos , 90% dos homens relataram redução da perda de cabelo e 70% dos homens crescimento de novos fios. E 98,6% dos homens não apresentam efeitos colaterais. 

Principais vantagens

A pista está no nome: a queda de cabelo de padrão hereditário deve-se à genética.

Mas se você está preocupada em perder o cabelo porque seu avô materno era careca, vale ressaltar que não é tão simples assim. Existem muitas variantes genéticas que podem fazer com que você desenvolva MPB, e isso não precisa necessariamente vir de sua mãe.

Claro, saber que existem ainda mais razões para experimentar a MPB não é nada reconfortante. E, no momento, não há nada que você possa fazer para ‘desfazer’ essa genética. No entanto, ainda existem etapas que você pode seguir para evitar a perda de cabelo. Alguns homens optam por transplantes de cabelo caros (e dolorosos), enquanto outros adotam a calvície. Mas é útil saber que existe uma terceira opção, cientificamente comprovada, na forma de Finasterida.

Referências
1. Medical News Today -Baldness: How close are we to a cure?: https://www.medicalnewstoday.com/articles/317788

2. Francesca Lolli, Francesco Pallotti, Alfredo Rossi, Maria C Fortuna, Gemma Caro, Andrea Lenzi, Andrea Sansone, Francesco Lombardo (2017). Androgenetic alopecia: a review: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28349362/

3. Harvard Health Publishing -Hereditary-Patterned Baldness: https://www.health.harvard.edu/a_to_z/hereditary-patterned-baldness-a-to-z#:~:text=Hereditary%2Dpattern%20baldness%20is%20the,hair%20thinning%20as%20they%20age.

4. tefanie Heilmann-Heimbach, Christine Herold, Lara M Hochfeld, Axel M Hillmer, Dale R Nyholt, Julian Hecker, Asif Javed, Elaine G Y Chew, Sonali Pechlivanis, Dmitriy Drichel, Xiu Ting Heng, Ricardo C-H Del Rosario, Heide L Fier, Ralf Paus, Rico Rueedi, Tessel E Galesloot, Susanne Moebus, Thomas Anhalt, Shyam Prabhakar, Rui Li, Stavroula Kanoni, George Papanikolaou, Zoltán Kutalik, Panos Deloukas, Michael P Philpott, Gérard Waeber, Tim D Spector, Peter Vollenweider, Lambertus A L M Kiemeney, George Dedoussis, J Brent Richards, Michael Nothnagel, Nicholas G Martin, Tim Becker, David A Hinds, Markus M Nöthen (2017). Meta-analysis identifies novel risk loci and yields systematic insights into the biology of male-pattern baldness: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28272467/

5. William Cranwell, MBBS(Hons), BMedSc(Hons), and Rodney Sinclair, MBBS, MD, FACD (2016). Male Androgenetic Alopecia: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK278957/

6. Axel M.  Hillmer, Sandra  Hanneken, Sibylle  Ritzmann, Tim  Becker, Jan  Freudenberg, Felix F.  Brockschmidt, Antonia  Flaquer, Yun  Freudenberg-Hua, Rami Abou  Jamra, Christine  Metzen, Uwe  Heyn, Nadine  Schweiger, Regina C.  Betz, Bettina  Blaumeiser, Jochen  Hampe, Stefan  Schreiber, Thomas G.  Schulze, Hans Christian  Hennies, Johannes  Schumacher, Peter  Propping, Thomas  Ruzicka, Sven  Cichon, Thomas F.  Wienker, Roland  Kruse, and Markus M.  Nöthen (2005). Genetic Variation in the Human Androgen Receptor Gene Is the Major Determinant of Common Early-Onset Androgenetic Alopecia: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC1226186/

7. Nicola Pirastu, Peter K Joshi, Paul S de Vries, Marilyn C Cornelis, Paul M McKeigue, NaNa Keum, Nora Franceschini, Marco Colombo , Edward L Giovannucci, Athina Spiliopoulou, Lude Franke, Kari E North, Peter Kraft, Alanna C Morrison, Tõnu Esko, James F Wilson (2017). GWAS for male-pattern baldness identifies 71 susceptibility loci explaining 38% of the risk: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29146897/

8. J Brent Richards, Xin Yuan, Frank Geller, Dawn Waterworth, Veronique Bataille, Daniel Glass, Kijoung Song, Gerard Waeber, Peter Vollenweider, Katja K H Aben, Lambertus A Kiemeney, Bragi Walters, Nicole Soranzo, Unnur Thorsteinsdottir, Augustine Kong, Thorunn Rafnar, Panos Deloukas, Patrick Sulem, Hreinn Stefansson, Kari Stefansson, Tim D Spector, and Vincent Mooser (2009). Male-pattern baldness susceptibility locus at 20p11: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2672151/

9. MedPage Today -Genomic Analysis Finds New Bad Actor for Baldness: https://www.medpagetoday.org/dermatology/generaldermatology/11278?vpass=1

10. Axel M Hillmer, Felix F Brockschmidt, Sandra Hanneken, Sibylle Eigelshoven, Michael Steffens, Antonia Flaquer, Stefan Herms, Tim Becker, Anne-Katrin Kortüm, Dale R Nyholt, Zhen Zhen Zhao, Grant W Montgomery, Nicholas G Martin, Thomas W Mühleisen, Margrieta A Alblas, Susanne Moebus, Karl-Heinz Jöckel, Martina Bröcker-Preuss, Raimund Erbel, Roman Reinartz, Regina C Betz, Sven Cichon, Peter Propping, Max P Baur, Thomas F Wienker, Roland Kruse, Markus M Nöthen (2008). Susceptibility variants for male-pattern baldness on chromosome 20p11: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/18849994/

11. Stefanie Heilmann-Heimbach, Christine Herold, Lara M Hochfeld, Axel M Hillmer, Dale R Nyholt, Julian Hecker, Asif Javed, Elaine G Y Chew, Sonali Pechlivanis, Dmitriy Drichel, Xiu Ting Heng, Ricardo C-H Del Rosario, Heide L Fier, Ralf Paus, Rico Rueedi Tessel E Galesloot, Susanne Moebus, Thomas Anhalt, Shyam Prabhakar, Rui Li, Stavroula Kanoni, George Papanikolaou, Zoltán Kutalik, Panos Deloukas, Michael P Philpott, Gérard Waeber, Tim D Spector, Peter Vollenweider, Lambertus A L M Kiemeney, George Dedoussis, J Brent Richards, Michael Nothnagel, Nicholas G Martin, Tim Becker, David A Hinds, Markus M Nöthen (2017). Meta-analysis identifies novel risk loci and yields systematic insights into the biology of male-pattern baldness: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28272467/

12. Nicola Pirastu, Peter K Joshi, Paul S de Vries, Marilyn C Cornelis, Paul M McKeigue, NaNa Keum, Nora Franceschini, Marco Colombo, Edward L Giovannucci, Athina Spiliopoulou, Lude Franke, Kari E North, Peter Kraft, Alanna C Morrison, Tõnu Esko, James F Wilson (2017). GWAS for male-pattern baldness identifies 71 susceptibility loci explaining 38% of the risk: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29146897/

13. Saskia P. Hagenaars, W. David Hill, Sarah E. Harris, Stuart J. Ritchie, Gail Davies, David C. Liewald, Catharine R. Gale, David J. Porteous, Ian J. Deary, and Riccardo E. Marioni (2017). Genetic prediction of male pattern baldness: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5308812/

14.EMC -Finasteride 1 mg Film-coated Tablets: https://www.medicines.org.uk/emc/product/6044/smpc

Embora garantimos que tudo o que você lê no Manual de Saúde é revisado e aprovado por um médico, as informações apresentadas aqui não têm a intenção de substituir o aconselhamento, diagnóstico ou tratamento médico profissional. Nunca deve substituir um aconselhamento médico específico. Se você tiver alguma dúvida ou preocupação, fale com seu médico.


Leitura adicional

Do nosso centro de saúde. Especialistas, informações e tópicos quentes. Ver tudo Queda Capilar artigos